Início Bolsa Família ‘Bolsa Família 2.0’: PT apresenta projeto para derrubar Renda Brasil

‘Bolsa Família 2.0’: PT apresenta projeto para derrubar Renda Brasil

À medida que o governo Bolsonaro corre para lançar o Renda Brasil até o fim do ano, o PT (Partido dos Trabalhadores) apresentou nesta sexta-feira (24) o Mais Bolsa Família, uma espécie de versão melhorada do programa lançado durante a gestão petista, há quase 20 anos.

A ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, comentou sobre as regras e diretrizes do Bolsa Família 2.0 em reunião do diretório do PT, transmitida via YouTube.

“Todas as famílias brasileiras com renda por pessoa de até R$ 600 passam a ser atendidas pelo Mais Bolsa Família”, disse a economista. “O benefício médio por família no Brasil passaria a ser de R$ 640.”

A ‘marca do Partido dos Trabalhadores’

O Bolsa Família é, sem sombra de dúvidas, a marca do PT Brasil afora. Por este motivo, antes que o Renda Brasil de Bolsonaro seja lançado oficialmente, a ideia é que a proposta seja levada à Câmara e ao Senado por meio dos parlamentares do partido.

Ainda segundo Tereza Campello, o Mais Bolsa Família pretende ampliar o valor pago às famílias, visando também o aumento da base de beneficiários. A nova versão do programa de renda mínima atenderia em média 30 milhões de famílias, o que custaria aos cofres públicos R$ 19 bilhões mensais.

“O Bolsa Família pode, melhor do que qualquer outra mágica, ser o programa para alcançar a população pobre”, disse Campello. De acordo com a ex-ministra, uma família com quatro pessoas e renda bruta de R$ 2.400 teria direito a fazer parte do Bolsa Família 2.0. “Queremos que o benefício seja universal entre os vulneráveis”, comentou.

E o Renda Brasil?

A ex-ministra chegou a comentou que o programa que possivelmente irá substituir o Bolsa Família nada mais é que um “combo de maldades”, já que retira direitos dos trabalhadores e atrapalha o sistema único de assistência social do país.

“O governo atual está tirando vantagem da tragédia social e acelerando o processo de desmonte da agenda de proteção aos mais pobres, por meio do Renda Brasil”, disse Tereza.

A economista disse ainda que a criação do Renda Brasil seguida pela extinção do Bolsa Família é um jogo político, uma vez que a medida pretende apagar as marcas do governo petista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também!

CAIXA TEM: CPF em muitos celulares, dados em avaliação e outras liberações de acesso

Aplicativo que concentra os pagamentos do Auxílio Emergencial e FGTS Emergencial, o Caixa Tem enfrenta, além de instabilidades, uma série de críticas quanto aos...

Auxílio Emergencial até dezembro? Governo avalia e pode aprovar

O Auxílio Emergencial pode ser prorrogado até dezembro, mas a ideia do Governo Federal é reduzir o valor. Ou seja, para que isso aconteça...

Auxílio Emergencial: calendários de pagamentos até dezembro

A Caixa Econômica divulgou as datas de pagamento dos quatros ciclos da ajuda de R$ 600. O cronograma de repasses segue até o final...

Banco Central anuncia lançamento de nota de R$ 200

Na última quarta-feira (29), o Banco Central confirmou o lançamento da cédula de R$ 200, que terá como estampa o lobo-guará. A nova nota...

Caixa abrirá 717 agências para pagamento da ajuda de R$ 600 neste sábado (01)

As agências da Caixa Econômica estarão abertas neste sábado, 1º de agosto, para atendimento aos beneficiários do auxílio emergencial. O horário de funcionamento será...